Plantão

casou com a filha

Em Mantenópolis, município do noroeste do estado do Espírito Santo, um fato descoberto esta semana chama a atenção da justiça, da igreja e do público leigo. Um homem de 51 anos descobriu por meio de exame de DNA que está casado a 9 meses com a própria filha de 23 anos. O casal que ainda não possui filhos está desesperado com a descoberta e busca meios legais para continuar casado.

Arnaldo, nome fictício do pai, descobriu que sua esposa poderia ser sua filha por meio de mensagens recebidas em uma rede social. A autora da mensagem se dizia prima de segundo grau de Fabíola, nome fictício de sua cônjuge. Fabíola ficou órfã aos 9 anos de idade quando sua mãe e sua vó faleceram em um atropelamento. Desta idade até os 17 anos morou com na casa desta prima criada como irmãs. Até que uma briga familiar a fez fugir de casa e ir morar na casa de um namorado em Vitória/ES.

Dos 17 aos 19 Fabíola morou com este namorado. Passou a trabalhar em uma loja conceituada de um grande shopping capixaba e ao conquistar a independência financeira conquistou também a independência emocional. Terminou este namoro e passou a morar sozinha e dedicar-se ao curso de Administração. No curso conheceu um professor que passara a ser seu namorado.

O que ela não poderia imaginar é que a história que a finada mãe contava que o pai morreu antes de a conhecer era uma mentira para mascarar o fato dela ter sido amante de um homem casado. Homem este que na verdade é o seu atual marido. O fato foi descoberto após um exame de DNA sugerido por esta prima que suspeitava das semelhanças de Arnaldo com o homem que era relatado pela mãe de Fabíola como sendo o “namorado secreto”.

Embora o fato seja tratado como segredo de justiça, o fato corre solto entre os moradores do município. Líderes religiosos locais estão acionando a Justiça para que o Ministério Público solicite a anulação imediata do casamento. O casal pretende lutar pela preservação da união matrimonial e adverte aos religiosos: “Cuidem de suas almas e seus dízimos. Nós cuidamos, e muito bem, de nosso amor”.

tinder-match

O Sindicato das Profissionais do Sexo do Espírito Santo acionou a Justiça solicitando a proibição do aplicativo Tinder no estado. Segundo Tábata Nogueira Diniz, presidente de honra do SindiProsti-ES, o aplicativo oferece concorrência desleal ao serviço prestado pelas profissionais do sexo. “As periguetes estão se oferecendo gratuitamente no aplicativo e roubando mercado de quem se qualificou para a prestação deste tipo de serviço”.

Segundo pesquisa realizada pelo SindiProsti-ES, apenas em 2015, 48% dos clientes deixaram de solicitar o serviço profissional por conseguir a versão genérica gratuitamente por meio do Tinder, e sem precisar pagar o taxi da prestadora de serviço. Tábata afirma que o barato sai caro, pois, “você não paga pelo serviço mas depois paga com seu tempo justificando no whatsapp porque não quer mais sair com a pessoa”.

Tábata é ainda mais enfática quando avalia o perfil da concorrência: “Além de desleal a concorrência se vale de propaganda enganosa. No chat dizem que o oral é completo e fazem até gargarejo com o líquido seminal, e na hora h, não fazem nem garganta profunda. Realmente é um absurdo e as autoridades precisam tomar uma atitude”.

VEJA TAMBÉM: Bate papo sobre: Marketing  – Conceito, Histórico e Perspectivas

Ronda Rousey

Nas primeiras horas desta manhã de domingo a paraibana Bethe Correia procurou a 34ª Delegacia de Crimes Contra a Mulher para acionar a Lei Maria da Penha contra a norte-americana Ronda Rousey. No boletim de ocorrência foi relatado espancamento, humilhação pública e fratura craniana. Segundo a Instituto Médico Legal a fratura craniana afetou gravemente a área do cérebro responsável pela vergonha na cara.

Curiosamente o UFC 190 terminou com uma ligação telefônica para este mesmo número. O medida protetiva expedida pela delegada Helô Antonelli obriga Ronda Rousey a manter-se distante de Bethe Correia pelos próximos 78 anos e impõe uma indenização de US$ 100.000,00 referentes aos custos da cirurgia de reconstrução de face com o Doctor Ray.

VEJA TAMBÉM: Palestra sobre Criatividade na Sala de Aula

festa de casamento

Antonio Vidigal Noronha fez de sua festa de casamento um acontecimento extremamente diferenciado. Uma festa para celebrar o não-casamento. Antonio é empresário e tem 36 anos. Estava noivo há 3 anos de Myrella Nunes Dias, que completou 19 anos no dia em que estava agendado o casamento. Tudo se encaminhava para uma noite muito especial que entraria para a história pessoal dos dois. De fato aquela noite ficou na história, mas não da maneira como ambos gostariam que tivesse sido. Na manhã do dia agendado para o enlace matrimonial Antonio recebeu em seu whatsapp um vídeo do Chá de Lingerie de sua noiva. As imagens eram constrangedoras.

A festa animada por um stripper e regada a bebidas destiladas levou Myrella a se exceder na empolgação e na interação com o rapaz que dançava sensualmente. No vídeo filmado e “dirigido” por uma amiga da noiva, que inclusive era madrinha de casamento, é possível ouvir frases como: “Vai! Chupa ele”. “Isso mesmo. Chupa gostoso”. “Engole! Engole! Engole!”.

O vídeo chegou até o celular de Antonio por meio de um compartilhamento equivocado. Myrella tentou encaminhar para o grupo “Amigas do Crime”, e acabou compartilhando no grupo “Amigas Madrinhas”, grupo este que o noivo também fazia parte. Neste grupo eram trocadas informações sobre a festa de casamento que seria integralmente bancada por Antonio. Imediatamente após assistir o vídeo ele procurou a noiva para comunicar o rompimento da relação. Também orientou ao cerimonial que encaminhasse todos os comes e bebes para uma casa de prostituição localizada no município de Serra, região metropolitana da Grande Vitória, no estado do Espírito Santo.

Antonio fechou a casa de diversão adulta para seus cinquenta amigos mais chegados e fez questão de tornar pública a motivação para o cancelamento da festa de casamento. Apresentou o vídeo para os pais da noiva e falou que não gostaria que seus filhos fossem constrangidos pelos atos imorais de uma mãe “sem noção”. Os pais dela concordaram com Antonio e pediram desculpas pelas imagens. Myrella disse que não se envergonhava do vídeo por saber que o noivo fez coisas até piores em sua despedida de solteira. Ainda foi provocativa ao dizer: “pelo menos na minha festa não tinha travesti…”

VEJA MAIS: Programa de TV mostra como noivos podem planejar o casamento dos sonhos sem viverem um pesadelo. MUITO BOM

facebook_proibido

A diretoria de inovação e branding do Facebook no Brasil anunciou na última quinta-feira que irá monitorar os textos dos usuários brasileiros em função das constantes denúncias a respeito de analfabetismo funcional por parte dos usuários. Erros grotescos como “fasso”, “concerteza”, “min ajuda” e o tão popular “menas”, estão cada dia mais presentes no feed de notícias dos usuários da maior rede social do mundo.

VÍDEO ÍNTIMO DE FERNANDA PAES LEME

O pedido de banimento dos analfabetos funcionais partiu da Academia Brasileiras de Letras, por meio do secretário geral, Jorge Holanda Saens Peña. Para o acadêmico “a exclusão de detratores da língua portuguesa do convívio digital melhorará a qualidade do texto lido pelos demais internautas, e forçará aos relapsos com a linguagem uma revisão textual antes de cada publicação”.

David Nashe Marlowe, responsável pela diretoria de Branding do Facebook no Brasil, informa que as mudanças passarão a ocorrer em novembro do corrente ano. Cada usuário banido só retornará ao convívio digital da rede social após atestar a conclusão do Ensino Médio e ser submetido a exame de proficiência em língua portuguesa.

VEJA TAMBÉM: Programa de TV faz um resgate da história do rádio e apresenta suas possibilidades e ameaças para o futuro próximo.